Você é o visitante número desta página desde 20/04/2000.
 

 

 

 

 

UTILIZAÇÃO DA INTERNET COMO TÉCNICA
DIDÁTICA NO ENSINO DE GEOCIÊNCIAS

 

 

 

Nívea Cristina da Silva

 

Orientador : Paulo de Tarso A. Castro

 

 

 

Índice

 

 

 

 

 

I – Introdução *

II - Histórico da Internet *

III - Por que a Internet? *

IV – Técnicas Didáticas de Ensino de Geociências *

V - Utilização de Recursos da Internet no Ensino de Geociências *

V.1 - Divulgação Virtual de Geociências *

V.2 - Técnica Didática no Ensino de Geociências *

V.3 Técnica Didática Principal para Ensino à Distância *

VI – Discussão *

VIII - Conclusões *

Bibliografia *

 

 

 

 

 

I – Introdução

 

Com o avanço da tecnologia e o crescente desenvolvimento mundial da Internet, surgem alternativas para o aprimoramento e a implantação de novas técnicas no ensino de geociências. Como a Internet encontra-se bastante difundida no contexto mundial e possui um caracter educador muito forte, a utilização de seus recursos passa a ser quase uma conseqüência de suas principais características.

O ensino baseia-se na utilização de técnicas didáticas para a transmissão do conhecimento. Essas técnicas tendem a acompanhar o progresso, de maneira que, procura-se sempre aperfeiçoar as técnicas utilizadas e/ou adicionar novas técnicas às atuais. Com o estouro mundial da Internet passou-se a analisar o potencial de seus recursos para a o enriquecimento das técnicas educacionais conhecidas até o momento. Devido a facilidade de acesso à rede e a ampla distribuição desta nos centro educacionais e instituições de ensino, houve a possibilidade de usufruir dos seus recursos, objetivando a melhoria do ensino.

As características dos diversos recursos da Internet são absolutamente interessantes para o ensino e a utilização destes, torna-o mais dinâmico e atual. Os recursos que a Internet oferece podem ser utilizados de várias maneiras, dependendo da didática do professor e das condições físicas e financeiras das instituições.

Devido ao rápido, contínuo e descontrolado crescimento da Internet, alguns aspectos tornam-se problemáticos, restringindo a utilização de alguns dos seus recursos no ensino. Por exemplo, podemos citar a confiabilidade das informações apresentadas e a atualização dos dados, sem o armazenamento das informações antigas. Esses fatores dificultam e às vezes impedem a utilização de algumas informações disponíveis na rede no ensino.

A inserção da Internet no mundo se deu de maneira rápida, com grande aceitação pela comunidade, tanto que em agosto de 1998, havia cerca de 50.000.000 de computadores interligados (Castleford, 1998). Esse número cresce diariamente em todo o mundo.

A Internet já faz parte do cotidiano de muita gente, pois apresenta-se de forma destacada no comércio, jornalismo, política, moda, e principalmente atualidades. Sendo assim, torna-se inevitável a introdução de seus recursos no contexto acadêmico, onde a troca rápida de informações e a comunicação com diversas pessoas são fundamentais.

 

 

 

II - Histórico da Internet

De acordo com Kristula (Março de 1997) na década de 70, em meados da Guerra Fria, uma divisão do Departamento de Defesa dos Estados Unidos da América, a Agência de Projetos e Pesquisas Avançadas em Defesa (DARPA), percebeu que o país necessitava de uma maneira mais prática e rápida de trocar informações militares entre os cientistas e pesquisadores localizados em regiões geograficamente diferentes.

Em 1969, foi desenvolvida, portanto uma rede simples , composta por quatro computadores, que eram interligados, havendo, assim, a possibilidade de trocar informações entre as pessoas localizadas fisicamente distantes uma das outras. Esses pontos localizavam-se em Los Angeles, Stanford, Santa Barbara e Utah. Essa rede primária foi batizada de DARPANET. Este sistema atendeu de maneira satisfatória os objetivos iniciais de sua implantação e em 1972 já contava com 23 computadores interligados.

Devido ao grande aumento de computadores interligados, a utilização da rede começou a mudar, pois além das trocas de informações, passou-se a enviar e receber mensagens eletrônicas através de caixas de correios pessoais. O primeiro programa de e-mail foi criado por Ray Tomlinson em 1972.

Em 1973, o termo Internet foi utilizado pela primeira vez por Vint Cerf e Bob Kahn. Em 1976 Dr. Robert M. Metclfe desenvolveu uma nova tecnologia elétrica através de cabos coaxiais, que promoveu rapidez na transmissão das informações.

Em 1976, nasceu o sistema através de satélites, que proporcionou a comunicação entre os Estados Unidos da América e a Europa. Nesta época, o sistema contava com cerca de 111 comutadores interligados.

Em 1984, houve a subdivisão da APARNET em MILNET – cujas funções se restringiam a objetivos militares - e ARPANET – responsável por pesquisas – sendo ambos sistemas controlados pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos.

A rede foi crescendo e tornando-se acessível para instituições educacionais, pesquisadores acadêmicos, funcionários do governo ou organizações internacionais de pesquisa, bastando para isso, provar que pertenciam à países aliados aos EUA.

Com o término da Guerra Fria, a rede saiu das preocupações militares e se tornou de uso geral, possuindo um crescimento extraordinário. Em 1994, o sistema já contava com a infra estrutura que conhecemos hoje, sendo possível inclusive o manejo de transações comerciais por meio virtual, sendo a Pizza Hut, uma das empresas pioneiras a usufruir dessa nova tecnologia. Hoje, sabemos que a Internet se trata uma rede mundial de computadores interligados onde todos os tipos e informações podem ser trocados em vários arquivos, como textos, figuras e fotos, sons, animações, vídeos e programas.

Encontram-se atualmente disponíveis um número maior de informações sobre o histórico da Inteernet nos seguintes endereços eletrônicos:

www.crystalnet.com.br/inter3.html

www.isoc.org/internet-history/brief.html#Introduction

www0.delphi.com/navnet/faq/history.html

www.davesite.com/webstation/net-history.shtml

III - Por que a Internet?

A Internet é um recurso que atualmente vem ganhando grande aceitação no contexto mundial. Diante dessa situação é crescente a facilidade de acesso à rede. Além da disponibilização desta nova tecnologia nas empresas e instituições, muitas pessoas possuem o conforto de possuírem esse recurso em suas próprias casas. O mundo está se tornando cada vez mais virtual e as informações passam a ser transmitidas com mais facilidade e rapidez.

A maioria das tarefas cotidianas agora podem ser feitas pela Internet, como movimentação e controle bancário, compras, leitura de jornais e revistas, visualização de clips musicais e trailers de filmes, pesquisas bibliográficas, visitas à museus e feiras além da possibilidade de conhecer e conversar com pessoas de qualquer parte do mundo e muito mais.

Torna-se, assim evidente a abrangência do leque de informações e recursos que a Internet oferece, além da facilidade de acesso e a rapidez de processamento dos dados. A educação, entretanto, não pode abrir mão dessa tecnologia avançada que agiliza a troca de informações. Diante dessa situação, alguns educadores resolveram expandir suas técnicas didáticas de ensino e a inová-las com a utilização de alguns recursos oferecidos pela rede mundial de comunicação.

 

IV – Técnicas Didáticas de Ensino de Geociências

O desenvolvimento das didáticas do ensino acompanham também o progresso da humanidade. Os centros educacionais procuram se adaptar à todas mudanças a fim de que o ensino se torne cada vez mais envolvente e interessante, buscando alcançar, com mais eficiência, as metas da educação. Esse acompanhamento torna-se claro ao observar-se a evolução das técnicas pedagógicas. Foram implementadas várias técnicas no decorrer do tempo. Geralmente, as novas técnicas são adicionadas às atuais, onde as informações passam a ser transmitidas de diversas formas e a absorção do conhecimento seja cada vez mais abrangente. Algumas metodologias utilizadas:

  • Exposição Oral – Onde o professor expõe o conhecimento oralmente para os alunos, utilizando-se da fala;
  • Quadro e giz – Onde o professor expõe o conhecimento na forma escrita, utilizando-se não somente de palavras como de desenhos esquemáticos e textos para facilitar a absorção do conhecimento por parte dos alunos.;
  • Retroprojetor – Onde são utilizadas transparências elaboradas anteriormente às aulas e possuem um caráter mais prático, pois podem ser apresentados textos, figuras, tabelas e fotos que auxiliam o professor e organizam o conteúdo programático da aula;
  • Projetor de diapositivos – A aplicação dessa metodologia é similar à do retroprojetor, porém a resolução das fotos e imagens é melhor, podendo ser utilizada para observação de pequenos detalhes. Através desta técnica, torna-se possível a apresentação de situações distintas de campo na sala de aula;
  • Vídeo – A apresentação de vídeos também é utilizada a fim de que o aluno assimile melhor o conhecimento, pois além da imagem, e do som, é possível a observação do movimento, gerando uma visão mais ampla da situação. Além disso, a variável tempo pode ser acelerada e assim os alunos podem perceber mais claramente a evolução de alguns processos que ocorrem na natureza;
  • Trabalho de campo – Trata-se da apresentação das feições mostradas em sala de aula no campo. É no campo que realmente o aluno assimila e percebe mais claramente as informações passadas em sala de aula. Devido à necessidade didática da sala de aula, as informações são passadas com bastante clareza a partir de exemplos ótimos para induzir ao bom entendimento. Por um outro lado, na natureza raramente as feições apresentam-se tão destacadas e de fácil identificação. O trabalho de campo é responsável pela educação da visão dos alunos, tornando-a crítica e sensível, auxiliando na distinção de estruturas e formas distintas.

Com a utilização de recursos da Internet no ensino, há a possibilidade da adição de uma nova técnica didática no ensino. A utilização desta, pode ser de várias maneiras, dependendo da infra-estrutura da instituição e da didática do professor, como mostra o próximo item.

 

IV - Recursos da Internet

Pelo fato da Internet ser uma rede mundial de informações, onde estão disponíveis arquivos numa grande diversidade de assuntos e formatos, muitos recursos são oferecidos e muitas vantagens podem ser aproveitadas na educação e, principalmente, no ensino de geociências. Devido ao grande caráter dinâmico da Internet, os recursos citados são os mais difundidos atualmente, pois é muito vasto o número de recursos e informações que passam a estar disponibilizados diariamente no mundo virtual. Os endereços eletrônicos apresentados como exemplos, estão disponibilizados atualmente, ou seja, início de 1999.

Os principais recursos oferecidos são:

  • Biblioteca virtual – Trata-se de textos de diversas naturezas, genéricos e/ou específicos que se encontram disponíveis em sites. Site é a maneira onde as informações estão organizadas por assunto, relacionadas a um endereço eletrônico. Geralmente esses textos são acompanhados por imagens, figuras, vídeos e/ou animações. A maioria do sites possuem uma atualização periódica, cujos intervalos são distintos e dependentes do autor, podendo ser anual, semestral, mensal, diário ou até de hora em hora. Devido aos diferentes intervalos de periodicidade da atualização dessas informações, pode-se encontrar dados de diferentes datas, sendo de fácil acesso a aquisição de textos extremamente atuais. Esses textos podem ser impressos, copiados para a disquetes ou para a unidade rígida do computador utilizado. O acesso a esses sites é simples, bastando para isso o conhecimento do endereço eletrônico correspondente. Para alguns é necessário fazer a assinatura que lhe permite o acesso. Outra maneira de ter acesso a esses sites é através de pesquisa com o auxílio de sites de pesquisa. Esses sites são caracterizados por possuírem links para vários outros sites que estejam relacionados com o mesmo assunto. Para realizar a pesquisa, é necessário digitar a palavras ou as palavras-chaves referentes ao assunto procurado em uma caixa de texto e clicar em pesquisa ou "search". Após alguns segundos este site localizará todos os vários sites que possuem como palavras-chaves a palavra procurada e você terá acesso à essas páginas pelo link localizado no resultado da pesquisa. Geralmente são encontradas muitas páginas com a palavra procurada, sendo assim, a pessoa interessada seleciona a página que atingir melhor o seu objetivo. Outra maneira de se fazer a pesquisa nos sites de pesquisa é através de seleção gradativa dos temas. Todos os sites apresentam-se organizados por assuntos de grande abrangência (ciência, esporte, tecnologia, lazer, etc..). Ao clicar em um desses temas, abrirá uma outra janelas com outros temas menos abrangentes porém referentes ao primeiro escolhido. E assim sucessivamente, até que seja encontrado sites com o assunto procurado. Geralmente os sites de pesquisa possuem as duas formas de procura de informações. Os endereços abaixo relacionados são correspondentes a diferentes sites de pesquisa:

- Site que executa a pesquisa somente em sites nacionais, tendo como idioma essencial o português.

www.cade.com.br

- Sites que executam a pesquisa em sites de diferentes nacionalidades podendo escolher os locais de interesse. Trabalham portanto, tanto com a língua inglesa como a portuguesa:

www.uol.com.br

- Site que executa a pesquisa em sites de diferentes nacionalidades, portanto, o idioma predominantemente é o inglês, apesar de realizar algumas buscas em português, encontrando-se nestas condições poucos sites.

www.yahoo.com

www.utexas.edu/world/lecture/index.html

- Site de pesquisa onde torna-se possível escolher o idioma dos sites a serem pesquisados.

www.radaruol.com

www.altavista.com

- Site que além de pesquisa, proporciona o desenvolvimento de "free homepage", ou seja, de sites pessoais ou não, que podem estar disponíveis na rede de maneira gratuita.

www.geocities.com/join/

  • Viagens virtuais – São navegações a sites que possuem textos, fotografias, figuras, vídeos e animações sobre um determinado local. Geralmente essas informações estão conectadas através de links, ou seja, um texto está relacionado a uma foto ou uma animação, bastando para isso um click nas palavras-chaves, que geralmente apresentam-se com cores distintas. Segundo Hurst (1998) a viagem virtual é uma excursão planejada para uma região para ilustrar alguns fenômenos básicos e específicos e suas relações. Endereço correspondente a uma viagem virtual ao "Grand Canyon":

www.geology.uiuc.edu/FieldTrip97/SprgFTpano.html

  • Correio eletrônico – O correio eletrônico é uma ferramenta muito útil nos dias atuais, pois através desta ferramenta é possível a comunicação com pessoas do mundo inteiro que possuam um endereço eletrônico. Essa comunicação é praticamente instantânea, indiferentemente do local onde a pessoa esteja, a mensagem é enviada em questões de segundos. Além da comunicação esse recurso oferece também a possibilidade da troca de dados, em diferentes formatos e tamanhos. Como a Internet está muito difundida, a maioria das pessoas que têm acesso a Internet, possuem um endereço eletrônico. A comunicação através de e-mail está substituindo a comunicação através de cartas pelo correio, pois pelo mundo virtual, a informação é transmitida de maneira mais rápida. Existem, atualmente, sites responsáveis pela organização de "free mails", ou seja sites que organizam e controlam endereços eletrônicos a qualquer pessoa interessada que tenha acesso a Internet, sendo necessário somente o preenchimento de um formulário. O endereço abaixo é correspondente a sites responsáveis pela organização da troca de mensagens virtuais.

www.hotmail.com

www.zipmail.com

www.bol.com.br

  • Lista de discussão – Trata-se de um endereço eletrônico central onde várias pessoas podem se submeter a esse endereço e serem cadastradas. Esse endereço eletrônico central está vinculado a uma empresa ou instituição que possua um assunto viável de discussão. As pessoas cadastradas nesta lista mandam mensagens discutindo, explicando, analisando ou comentando o assunto proposto. Essa mensagem é repassada para todas as pessoas cadastradas e estas poderão enviar outras mensagens que serão repassadas para os demais cadastrados, gerando assim o que é conhecido como lista de discussão. O endereço abaixo corresponde a uma lista de discussão sobre a utilização de recursos da Internet para fins educacionais em geociências, sendo administrado por John C. Butler, professor da Universidade de Houston:

e-mail: virtualcoffeeroom@listserv.uh.edu

O endereço a seguir corresponde a uma lista de discussão sobre o Programa Especial de Treinamento, é administrado pelo PET de Engenharia Elétrica de Ilha Solteira:

e-mail: petbr-l@feis.unesp.br

  • Salas de conversação – Trata-se de programas que administram a comunicação de várias pessoas em locais diferentes em um mesmo site. A comunicação é, como na comunicação através de endereços eletrônicos, imediata. O acesso para esse recurso é fácil, necessitando somente o endereço do site em questão. Através de programas mais avançados é possível a transmissão de dados referentes a voz, possibilitando a comunicação oral através da Internet.

  • Criação de web sites – Através da Internet é possível a criação de web sites, que são páginas virtuais onde pode-se concentrar todas as informações de um determinado assunto. Nesse site pode-se inserir vários textos interligados através de links, figuras, imagens, sons, animações e vídeos. Há também a possibilidade de se fazer a conecção do site que está sendo desenvolvido com um outro site existente. Com esse recurso também é possível a inserção de exercícios para serem resolvidos via Internet. A elaboração de web sites é possível através de programas específicos como Netscape Composer, Home Site, Front Page e outros. Para a inserção de web sites na Internet em alguns casos necessita-se da permissão do servidor, em outros casos, já existem páginas responsáveis pela organização e disponibilização de sites no meio virtual, de forma gratuita.

  • Download (baixar) – Este recurso é responsável pela passagem das informações que estão disponíveis na rede para o computador. Pode-se baixar arquivos e programas que estão disponíveis na rede para o disco rígido do computador que está sendo utilizado, ou para disquetes.

  • Videoconferência – Trata-se de uma sala de conferência, onde além das informações tecladas são transmitidas também imagens animadas em forma de vídeo, tornando possível a visualização da pessoa que está comunicando. Para isso é necessário que todos os computadores dos usuários que utilizam este recurso possuam pequenas câmaras de vídeo acopladas. Essas câmaras são responsáveis pela gravação da imagem. Esse recurso ainda é pouco difundido, pois são poucas as pessoas que possuem a regalia de possuir microcâmeras acopladas ao computador. Essa realidade tende a mudar devido ao decréscimo contínuo do preço desse equipamento acessório.

Diante da constante evolução da Internet mais recursos tendem a surgir a cada dia no mundo virtual. Os recursos que foram descritos anteriormente, bem como os exemplos de endereços eletrônicos são os que estão sendo mais utilizados atualmente (início de 1999).

 

V - Utilização de Recursos da Internet no Ensino de Geociências

As vantagens da utilização da Internet no ensino de Geociências são muitas, pois a Internet é um meio de fácil acesso, de tecnologia atual o que atrai muito o interesse do aluno. Isso faz com que torna-se mais agradável uma pesquisa virtual com fotos, animações e vídeos, do que uma pesquisa tradicional em livros e separatas.

Esses recursos são utilizados de maneiras distintas e podem ser separados de acordo com o objetivo traçado. Esses objetivos podem ser aglutinados basicamente em três tipos:

  • utilizado para divulgação virtual de Geociências;
  • utilizado como técnica didática adicional no ensino de geociências;
  • utilizado como técnica didática principal para ensino à distância

Será descrita a seguir um perfil da utilização da Internet para as três finalidades distintas. Posto que os sites normalmente são criados por diversas pessoas ou grupos que possuem diferentes formações não há nenhuma padronização na utilização da Internet. Será, portanto, apresentado um perfil geral, podendo haver sites cujas características sejam diferentes das descrita abaixo.

 

V.1 - Divulgação Virtual de Geociências

 

O principal recurso da Internet utilizado é a criação de web sites, quando o objetivo é a divulgação virtual de geociências. Geralmente são sites com textos explicativos genéricos, pouco aprofundados, quando tecnicamente avaliados, e pouco extensos, enfatizando os aspectos mais interessantes do assunto que está sendo trabalhado. Possuem simplesmente caráter informativo. Geralmente esses sites possuem um número grande de fotos, que ao serem clicadas, são ampliadas para observação mais detalhada. Essas fotos são de boa qualidade tornando a sua observação bem agradável. Possuem também desenhos esquemáticos onde a transmissão do conhecimento não necessita uma bagagem muito ampla, evitando muitas vezes a leitura total do texto e gerando nessas figuras um perfil auto-explicativo. Costumam apresentar também animações e vídeos. Essa animações mostram o desenvolvimento de processos geológicos cuja escala da variável tempo é alterada e diminuída, ou seja, os processos que gastam milhões de anos para se desenvolverem, em animações levam apenas alguns segundos. Quando torna-se complicado a criação de uma animação são utilizadas figuras em sequência gerando a sensação de movimento. Estão disponíveis também nestes sites vídeos de locais geologicamente interessantes e conhecidos.

Geralmente estes sites tratam de temas atuais e abrangentes ou de natureza intrigante para os leigos, como lixo, água, vulcanismo, terremotos, tectônica de placas, extinção dos dinossauros, etc. Essa configuração objetiva a atração dos visitantes para com as geociências, levando o indivíduo a pensar sobre este assunto e a despertar a sua curiosidade.

Há alguns sites cujo objetivo inicial é a divulgação virtual das geociências, mas que podem também ser utilizados como fonte de pesquisa para trabalhos escolares de 1ş, 2ş ou 3ş graus, ser utilizado como técnica didática no ensino de geociências ou referência no ensino à distância, pois apesar de possuírem um conteúdo pobre em textos, possuem um conteúdo rico em imagens e animações.

Alguns exemplos:

Site sobre dinossauros: www.angelfire.com/ar/paccanaro/

Site sobre vulcanismo: www.geology.er.usgs.gov/eastern/volcanoes/index.html

Site sobre tectônica de placas: www.platetectonics.com/core/core.htm

 

V.2 - Técnica Didática no Ensino de Geociências

O uso dessa nova técnica no ensino de Geociências se dá acoplada às técnicas tradicionais citadas anteriormente, ou seja, o professor transmite as informações em sala de aula e uma das metodologias utilizadas para a melhoria do aprendizado é a utilização de recursos da Internet.

Essa metodologia pode ser implementada de duas maneiras, dependendo da disponibilidade de equipamentos e da metodologia escolhida pelo professor durante a aula:

  • o aluno pesquisa na Internet nos horários vagos, com o objetivo de reforçar os conhecimentos apresentados em sala de aula ou para auxiliar na resolução de exercícios, trabalhos, etc;

- a Internet é utilizada como ferramenta para transmissão dos conhecimentos essenciais na sala de aula, acompanhando as explicações do professor. Ela pode ser utilizada onde cada grupo de alunos possua um computador ou através de um único computador ligado a um "datashow", onde a imagem do monitor é projetada.

Os sites utilizados para estudos nestas situações diferem-se devido aos diferentes objetivos iniciais. No primeiro caso o objetivo principal é de pesquisa, portanto o aluno deve ter disponibilidade de tempo para leitura dos textos, usufruindo da liberdade de escolha daqueles que o convém. No segundo caso, há um limite de tempo para acesso, que é a duração da aula. Portanto, neste caso, o professor escolhe preliminarmente os sites visitados, a fim de que o objetivo didático da aula seja alcançado. Em ambos os casos para a maior absorção das informações, é necessário uma leitura prévia das anotações de aula que deverá estar à disposição do aluno anteriormente. (Gore, 1997).

Geralmente são elaboradas homepages com o conteúdo programático da disciplina, com os dias previstos de aulas, relacionados com os temas apresentados. De acordo com esses temas são criados links para outras páginas ou sites, tornado a pesquisa virtual direcionada para informações adicionais. Esses sites geralmente apresentam a referência bibliográfica e os objetivos que se pretende alcançar ao término do curso.

Esta metodologia torna-se extremamente importante no caso da ausência do aluno às aulas. Desta maneira, o aluno terá acesso imediato às informações que foram transmitidas durante a aula, podendo acompanhar, mesmo ausente, a evolução do curso (Gore, 1997). Esses sites também possuem o objetivo de concentrar as informações em um único endereço, pois estas são inúmeras, de diferentes qualidades e encontram-se extremamente disseminadas na Internet.

Um dos recursos mais importantes e de utilização bastante abrangente no ramo das Geociências são as viagens virtuais. Este recurso possui uma boa aceitação devido à complexidade de situações geologicamente distintas existentes no nosso planeta. As viagens virtuais não substituem os trabalhos de campo, mas diante das dificuldades de acesso à algumas regiões, este recurso torna-se uma alternativa bastante satisfatória (Suthern, 1998). Os objetivos fundamentais das viagens virtuais são: o conhecimento da área para observação e coletânea dos dados, formulação de hipóteses para explicação do desenvolvimento histórico da área, coletânea de dados para testar as hipóteses e o relato das conclusões. (Hurst, 1998).

Com a utilização de viagens virtuais através da Internet é possível levar novas realidades para a sala de aula. A principal vantagem da utilização desse recurso é de despertar o interesse do aluno à outras realidades devido à boa qualidade de recursos audio-visuais apresentados na maioria dos sites. Essas viagens tornam-se ainda mais interessantes por ser possível a observação de feições em diferentes escalas, inclusive microscópica, devido a utilização de vários tipos de fotografias, o que facilita o entendimento de algumas relações geológicas. No trabalho de campo, torna-se impossível adquirir uma visão geral baseadas em observações em diferentes escalas, pois é possível somente a análise em uma escala de cada vez (Hurst, 1998).

Segundo Hust (1998), a utilização de viagens virtuais possui uma grande vantagem para os alunos que cursam geologia introdutória, pois é capaz de introduzir conceitos básicos em larga escala, de processos regionais, como movimentação das placas tectônicas ou formação das rochas ígneas entre outros. Essa vantagem se dá devido a facilidade de se mostrar situações geológicas em escalas muito pequenas.

A principal desvantagem das viagens virtuais é que estas representam uma abstração da realidade (Husrt, 1998), pois para a sua elaboração, foi necessário que alguém fizesse o trabalho de campo e relatasse, ao seu entendimento, a realidade. Além do mais, a maioria das informações apresentam-se em duas dimensões, como em fotos e figuras, o que pode modificar muito a interpretação.

Em algumas universidades, para que a assimilação torne-se ainda maior, no final do curso, o aluno tem como dever o desenvolvimento de um site que represente uma viagem virtual. Desta forma o aluno desenvolve a capacidade de observação e relato do meio físico, bem como a interpretação dos dados colhidos. Além do conhecimento estritamente geológico adquirido, o aluno ainda aprende como criar sites na Internet e auxilia a desenvolver a sua capacidade de organização e descrição do que foi estudado e das suas idéias.

Outro recurso muito utilizado é comunicação virtual através de correios eletrônicos. Desta forma é possível comunicar-se com pessoas de todo o mundo, levando a uma grande troca de experiências. Mann (1998) relata que a comunicação entre professores e alunos após a introdução de recurso da Internet nas disciplinas aumentou significativamente, comparado com a comunicação existente antes da nova metodologia, mesmo que estes vivam em locais geograficamente próximos, ou mesmo na mesma cidade. A comunicação, inclusive com o professor e os colegas de classe, pode ser facilitada pela utilização de e-mail, já que os compromissos individuais acabam comprometendo o encontro para a comunicação.

Através da Internet, muitos exercícios podem ser elaborados, possuindo inclusive muitas vantagens quando comparados aos tradicionais (Mann, 1998). Mas nem todos podem ser substituídos. Por exemplo: para a identificação de rochas e minerais é necessário o contato físico para se determinar propriedades como textura, densidade, precisão na cor, e outros. No caso das rochas, as algumas estruturas, principalmente as sedimentares podem ser identificadas através da Internet mas as observações como o tamanho dos grãos, porosidade, estimativa de minerais torna-se comprometida.

Segundo Gore (1997) os educadores podem utilizar de gráficos e fotografias acessadas através da Internet e copiadas na forma de download para reprodução em transparências e slides com a finalidade de serem utilizadas na sala de aula. Esse material pode ser impresso em folhas para distribuição ou em transparências para utilização em sala de aula.

O site citado abaixo, possui vários links para páginas referentes a cursos virtuais vinculados a "Oxford Brookes University"

www.brookes.ac.uk/geology/modules.html

O endereço www.geocities.com/CapeCanaveral/8146/course2.html refere-se a uma página caracterizada por possuir vários links para páginas sobre cursos de Petrologia em muitas universidades.

A Universidade Federal de Ouro Preto, através do Departamento de Geologia, à partir do primeiro semestre de 1999, utilizará recursos da Internet como uma das técnicas didáticas utilizadas na disciplina Geologia Ambiental. A home page correspondente está sendo desenvolvida e brevemente estará disponível na rede.

V.3 Técnica Didática Principal para Ensino à Distância

 

A metodologia de ensino à distância é uma prática comum nos últimos anos, porém usualmente se utiliza como meio de difusão fitas cassetes e fitas de vídeo, juntamente com livros e apostilas. A porção inovadora desta metodologia de ensino é a utilização da Internet que oferece como principais vantagens a facilidade de acesso e a rapidez na troca de informações, que antes se dava através do correio.

Com a globalização e a instabilidade de empregos, a sociedade passa a exigir dos indivíduos um leque de conhecimento cada vez mais abrangente. Segundo Butler (1997), futuristas indicam que uma pessoa de 22 anos passará por aproximadamente seis profissões até atingir 43 anos. Para conseguir acompanhar este novo contexto, as pessoas necessitariam de mais estudos e à partir do momento que vão envelhecendo, criando família, as atividades cotidianas do estudo como o simples fato de freqüentar a universidade passa a ser um fator limitante. Por isso a educação à distância vem ganhando muitos adeptos e, devido às facilidades que a Internet oferece, este recurso tornou-se o que mais se adapta a essa nova realidade, sendo assim, o mais procurado.

Na realização desses cursos, são utilizadas as diversas técnicas citadas anteriormente, sendo que algumas são mais utilizadas, como e-mail, para comunicação com o instrutor, envio de exercícios e trabalhos e comunicação com os colegas; e salas de discussão, para uma discussão mais rápida com o instrutor e colegas.

Segundo Butler (1998), quando o curso é apropriadamente desenvolvido e praticado com consciência pelo instrutor e seguido com responsabilidade pelo aprendiz, o ensino à distância é pelo menos tão efetivo quanto as aulas tradicionais.

O site www.uh.edu/~jbutler/anon/anonfield.html apresenta várias informações sobre a utilização da Internet no ensino de geociências, trazendo sempre vários exemplos ilustrativos. A página é administrada pelo Prof. John Butler da Universidade de Houston.

 

VI – Discussão

A Internet é uma rede mundial de computadores aberta a todo tipo de informação. A cada dia, vão surgindo novos programas para desenvolvimento de web sites e a inserção dessas páginas na rede, torna-se cada vez mais facilitada.

Devido a essa liberdade total e falta de controle para inserção de novas informações no mundo virtual - características básicas da Internet - para se fazer uma seleção de informações científicas a serem pesquisadas pelos alunos ou mesmo utilizadas em sala de aula, alguns detalhes devem ser cuidadosamente observados. Assim, torna-se inevitável a realização de uma análise crítica dos sites encontrados para depois utilizá-los no ensino.

Primeiramente é necessário saber exatamente o assunto a ser pesquisado e quais as principais informações que deverão ser encontradas.. Ao se constatar a ocorrência de um site que provavelmente possuirá as informações procuradas alguns aspectos devem ser sempre observados para que a informação seja confiável e de caráter científico. É preciso estar sempre atento ao autor do site. É importante saber quem é o autor, e se este possui algum tipo de vínculo com alguma instituição. Caso positivo, informar-se sobre esta instituição e se esta apresenta boas referências. A obtenção dessas informações pode tornar extremamente complicada sendo, inclusive impossível. Este fato é o resultado da falta de padronização dos sites. É importante divulgar que informações como dados do autor, sua formação, área de atuação, principais trabalhos desenvolvidos e atividades desenvolvidas atualmente, além do seu endereço eletrônico para comunicações futuras. Esses dados são fundamentais para dar créditos e confiabilidade às informações apresentadas. As informações sobre a instituição, de uma maneira geral, também são responsáveis pela credibilidade dos dados.

Desta maneira, ao se fazer uma pesquisa na rede, torna-se de grande valor a aquisição preliminar de conhecimento básicos sobre o assunto em questão. Esse conhecimento servirá de embasamento crítico para a discussão das questões apresentadas, e analisar as informações.

Outro aspecto que também deve ser observado é a apresentação das informações, qual a linguagem utilizada. Através do tipo de linguagem observada torna-se possível avaliar se os textos possuem tendências científicas, e não são simplesmente informativas.

Finalmente para se concluir à respeito da confiabilidade de determinado site é preciso que alguns dos aspectos citados anteriormente sejam convergentes, tornando assim, viável a utilização dessa informação. Nem sempre a convergência dos dados indica que as informações são inteiramente confiáveis, porém a porcentagem de serem é elevada.

A falta de controle para inserção de dados na Internet, acarreta ainda vários problemas. O número de informações disponíveis na rede é extremamente elevado, sendo muito complicado a escolha da informação que melhor lhe convém. Esse número elevado faz com que os usuário fiquem perdidos ao localizarem os sites.

Ao utilizar dados localizados na rede mundial de informações, surgirá, portanto um problema bastante complicado que vem sendo discutido nos dias atuais. Como referenciar "bibliografias virtuais" em trabalhos científicos, como por exemplo, trabalhos escolares. Esse aspecto ainda vem sendo palco de muitas discussões. Um dos problemas é a alta velocidade de modificação e atualização dos dados existentes. Por um lado, este fato é uma das principais vantagens da Internet, pois ela disponibiliza dados extremamente recentes. Como consequência disso, a referência bibliográfica fica completamente comprometida, de maneira que em alguns casos, em períodos inferiores a um ano, a referência perde completamente seu valor. Isto ocorre porque neste período, os dados geralmente deixam de estar disponíveis na rede, sendo substituídos por outros mais atuais. Ainda não existe resolução para este problema. Talvez seja válido o desenvolvimento de um banco de dados permanente e sendo constantemente atualizado, para armazenar todos os dados antigos. Neste banco de dados, as informações poderiam estar organizadas pelo título e período que estas estiveram disponibilizadas na rede. Dados históricos como a primeira homepage individual criada ou o primeiro site de procura já não devem ser encontrados, e assim vai se perdendo dados relacionado à história da Internet.

Comparando esse técnica de disposição de informações com a técnica utilizada a muito tempo, a escrita, observa-se uma vantagem extremamente significativa. Esta última possui a capacidade de concentração de informações muito maior e independente do nível de conhecimento das informações, tem-se estes dados preservados, sendo possível o acesso a eles, a qualquer momento. Na Internet os dados do passado vão se perdendo gradativamente sem a possibilidade de recuperação. O que será da história virtual se continuarmos trilhando neste caminho?

Além deste fator, ainda existem outros complicadores que têm influência direta ao se tentar referenciar dados virtuais. Como os sites não possuem o mínimo de padronização, nem todos possuem todas as informações suficientes para referenciá-los. Como por exemplo, data da última atualização, autor ou autores e outros. Como se não bastasse, ainda não foi definido uma norma padrão para referenciar esses dados. Já existem algumas propostas, que encontram-se discutidas nos endereços eletrônicos relacionados abaixo:

www.colombia.edu/cu/cup/cgos/idx_basic.html

www.uvm.edu/~ncrame/estyles.html

www.people.memphis.edu/mcrouse/elcite.html

Muitas outras dificuldades são enfrentadas ao se utilizar a Internet como metodologia didática, principalmente no Brasil. Devido ao pequeno período que a Internet passou mais efetivamente a fazer parte do cotidiano do brasileiros, ainda não desenvolvemos de maneira satisfatória, o real desenvolvimento de criação de web sites e disponibilização de dados científicos na rede, nem mesmo criamos um padrão que melhor se adapte a nossa cultura. Então, as principais referências encontradas estão escritas em inglês, destinadas à população do país de origem do criador da página e procurando atingir o objetivo daquela nação. Esses fatores em certos casos, podem limitar a utilização deste recurso, ou influenciar erroneamente os usuários da Internet..

Por outro lado, a utilização da Internet trouxe muitas vantagens, como por exemplo, quando utilizada em congressos e simpósios. Pode-se saber tudo a respeito desses eventos através de homepages, fazer inscrições e até enviar trabalhos a serem submetidos a avaliação. Isso, tornou o trabalho facilitado para os organizadores e cômodo para os congressistas.

VIII - Conclusões

A utilização de recursos da Internet como metodologia no ensino apresenta inúmeras vantagens. Por ser um sistema mundial de computadores interligados 24 horas, o acesso pode ser feito em qualquer hora do dia ou da noite, além de representar um conforto bem grande para alguns estudantes, visto que estes possuem a possibilidade de utilizar desses recursos em suas próprias casas.

A dinâmica e a atualização dos dados encontrados na Internet torna-se uma grande vantagem visto que a troca de informações é muito fácil, tanto para alunos como para os professores, que podem atualizar-se rapidamente enriquecendo assim, diariamente o conteúdo da disciplina que será apresentado. Os alunos aprendem a utilizar a Internet e a ter dicernimento ao lidar com o mundo de informações que a Internet apresenta, além de utilizá-la mesmo em disciplinas que ainda não foram despertadas para a utilização de seus recursos (Mann, 1998). Segundo Gore (1997), a utilização da Web como ferramenta educativa ajuda os estudantes a aprender geologia e ao mesmo tempo ensina-os a operar em um ambiente interativo de multimídia, além de auxiliá-los no aprendizado da navegação através da Internet.

Quando esses recursos são utilizados em cursos introdutórios e a possibilidade de alguns alunos nunca terem utilizado a Internet, essa metodologia didática ainda apresenta uma vantagem extremamente interessante. Essa vantagem é a inserção do aluno no mundo virtual, que além de aprender a utilizar os recursos disponíveis, o aluno passa ter um visão geral do que é a rede e quais são os benefícios e os malefícios que esta oferece para a sociedade nos dias atuais.

Através da comunicação por e-mail, o aluno habitua-se a se corresponder formalmente, desenvolvendo a capacidade de se expressar com palavras, além de aumentar o intercâmbio cultural, através da comunicação com pessoas de raça e cultura distintas.

Com diz Mann (1998), a utilização da Internet no ensino é um processo inovador que veio para ficar, devido à grande gama de vantagens que oferece, portanto não trata-se de um técnica que veio para subtrair as tradicionais, mas pelo contrário, ela veio para adicionar e impulsionar-nos objetivando a melhoria da educação mundial.

As questões econômicas também são atingidas com a inserção da Internet na educação, sendo possível a realização completa de uma disciplina sem a utilização de papéis e xexox, diminuindo, assim, até a produção de lixo. Gastos ainda com transparências e diapositivos podem ser amenizados, desde que, a instituição ofereça infra-estrutura para isso. Por outro lado, novos gastos serão necessários, como a adequação da instituição para a implantação desse recurso, como aquisição de equipamento, rearranjo elétrico e gastos permamentes para a manutenção da Internet.

No entanto, algumas desvantagens ainda são limitantes. Como a Internet e mesmo a computação é uma experiência recente, ainda encontra muitas barreiras para se adaptar na sociedade. O ser humano oferece muitos limites ao novo e ao inovador e assim, entramos na questão cultural. O Brasil, por ser um país subdesenvolvido, está começando a se abrir para essa nova tecnologia, portanto, ainda temos muito o que caminhar. Além do mais, questões estruturais como linhas telefônicas, que por não estarem ainda adequadas ao grande fluxo de dados, torna a Internet ainda muita lenta e questões econômicas das universidades e população, tornam a Internet à um abismo de distância da maioria dos estudantes.

Ainda encontramos como uma das principais dificuldades, a língua utilizada nos sites que em sua maioria é o inglês. Isso ocorre porque os países desenvolvidos onde a língua pátria é o inglês são os carros-chefes do desenvolvimento da Internet e onde ela já está totalmente inserida na realidade da população, a ponto dos professores não terem perspectiva futura para a educação sem a Internet. Essas bruscas mudanças estruturais na educação envolvem muito mais do que ter condições de informática, envolvem questões de adequação às novas realidades. Esse fato foi observado nos países desenvolvidos, pois Butler (1997) mesmo afirma: os alunos tiveram plena aceitação da nova metodologia na terceira turma que utilizava a Internet como metodologia no processo educativo.

Contudo, trata-se de recursos que apresentam muitas vantagens para o ensino. Essa nova metodologia deve ser aos poucos inserida no contexto acadêmico dos alunos, de maneira que estes passam a sentir prazer em trabalhar na Internet, pois terão embasamento para navegação e dentro deste mundo de informações, saber separar a que melhor atende a seus objetivos.

 

 

Bibliografia

BUTLER, J.C. (1998) Another Note in Internet. Computers & Geosciences, v.24, nş3, 289-290

BUTLER, J.C. (1998) Another Note in Internet. Computers & Geosciences, v.24, nş1, 109-110

BUTLER J.C. (1997) A Virtual Geoscience Professor, Computers & Geosciences, v.23, nş5, 521-531

BUTLER, J.C. (1998) The Internet – A Catalyst For Change, Computers & Geosciences, v.24, nş7, 617-621

CASTLEFORD, J. (1998) Links, Lecturing and Learning: Some Issues for Geoscience Education, Computers & Geosciences, v24, nş7, 673-677

FORD, C.E. (1998) Supporting Fieldwork Using the Internet, Computers & Geosciences, v24, nş7, 649-651

GORE, P.J.W. (1997) Using World Widw Web In the Geology Classroom. Journal of Geoscience Education, V.45, 246-251

GORE, P.J.W. (1998) Distance Learning: Moving Toward Online Geoscience Classes in Georgia, Computers & Geosciences, v24, nş7, 707-712

HURST, S.D. (1998) Use of "Virtual" Field Trips in Teaching Introductory Geology, Computers & Geosciences, v24, nş7, 653-658

KRISTULA, D. (Março de 1997) The history of Internet [Online]. Available: http://www.davesite.com/webstation/net-history.shtml [29 de março de 1999]*

SUTHREN, R.J. (1998) Virtual Posters and Virtual Essays in Geoscience Courses, Computers & Geosciences, v24, nş7, 665-671

MANN, C.J. (1998) Teaching on the Web, Computers & Geosciences, v24, nş7, 693-697

 

* A referência baseou-se nas normas APA que encontra-se disponível no endereço eletrônico http://www.uvm.edu/~ncrane/estyles/apa.html